fbpx
  • Roque Dalton: poemas de luta

Roque Dalton: poemas de luta

Antologia do poeta e guerrilheiro salvadorenho Roque Dalton. Trata-se da primeira do tipo em português. A seleção dos poemas, organização e tradução foram feitas por Jeff Vasques e Lucas Bronzatto. Uma poesia combativa e de altíssima qualidade oferecido pela Edições Trunca. 

“Roque é para mim o exemplo bem pouco frequente de um homem em que a capacidade poética se deu desde muito cedo mescladas com um profundo sentimento com seu próprio povo, com sua história e seu destino. Nele, desde os dezoito anos, nunca se pode separar o poeta do lutador, o novelista do combatente, e por isso sua vida foi uma série contínua de perseguições, prisões, exílios, fugas em alguns casos espetaculares e um retorno final a seu país para integrar-se à luta onde haveria de perder a vida. Roque Dalton era um homem que aos quarenta anos dava a impressão de um menino de dezenove. Tinha algo de criança, condutas de criança, era travesso, brincalhão. Era difícil saber e se dar conta da força, da seriedade e da eficácia que se escondiam detrás desse rapaz. Não era homem de panfletos, era homem de pensamento e por detrás e adiante e por cima de tudo isso havia sempre o grande poeta, o homem que deixou alguns dos poemas mais bonitos que eu conheço nesses últimos vinte anos. Isto é o que posso dizer de Roque e meu desejo de que vocês o leiam e o conheçam mais.” (Júlio Cortázar)

 

A poesia de Roque Dalton é, acima de tudo, apaixonada. Diferente do amor romantizado, comercializado,  egoísta e apartado da realidade, a obra de Roque apresenta um amor consciente do contexto  político-social da sua época; generoso na medida em que quer o pão para o faminto, a terra para todos e uma pátria livre e justa para amar a mulher querida, mesmo que para tanto, seja necessário largar a pena e empunhar o fuzil. Imbuído nesse sentimento, ele manifesta a intenção de transformar a vida através da organização política, da luta e das letras. Trata-se, certamente, de um dos poetas mais fascinantes da América Latina.  

Roque Antonio Dalton García nasceu em 1935 na cidade de San Salvador e fez parte da chamada Generación Comprometida, um movimento social e literário composto por uma juventude contestadora que ousou converter versos em instrumentos de crítica social, acusando não somente os causadores das desigualdades como também os indiferentes, cúmplices da injustiça.  

Dalton, juntamente com o poeta guatemalteco Otto René Castillo, convictos nos ideais de luta pela liberdade, ofereceram muito mais que poemas de protesto: ofereceram suas mãos, seus punhos em riste em defesa de suas pátrias, contra as ditaduras e o imperialismo estadunidense.  

Roque se formou na Externado San José, uma escola jesuíta exclusiva para meninos em San Salvador. Depois, foi enviado por seu pai para Santiago para estudar direito na Universidade do Chile. Dalton conheceu vários países, seja pelo exílio ou pelos estudos, porém, o período em que esteve no Chile foi determinante para sua vida política: lá estabeleceu relações estreitas com os estudantes de esquerda, assistiu palestras com o artista mexicano Diego Rivera, iniciou seus estudos sobre Marx e desenvolveu um grande interesse pelo socialismo. 

roque-dalton-miguel.jpg_1655810710-300x224 Roque Dalton: poemas de luta Clássicos

Em 1961, viajou para Havana, onde foi recebido pela Casa de las Américas, local de encontro de muitos escritores latino-americanos de esquerda exilados. Dalton voltou clandestinamente a El Salvador em 1965, mas logo foi pego e preso. 

Ao regressar a El Salvador, Roque percebeu que a leitura marxista o tinha ajudado a descobrir um país por ele desconhecido: um lugar repleto de contradições de classe e miséria. Filiou-se no Partido Comunista de El Salvador (PCS), fundou o Círculo Literário Universitário, viajou para União Soviética e manteve ativa a sua militância política, o que provocou a sua prisão no governo de José María Lemus. 

O poeta salvadorenho escapou duas vezes de morrer fuzilado. Uma vez porque dias antes da data do seu fuzilamento, Lemus foi derrubado, e a outra vez foi porque um oportuno terremoto derrubou as paredes da prisão onde se encontrava e então pôde fugir.    

Aguardou a execução em Cojutepeque , mas foi milagrosamente salvo. Houve um terremoto e o muro da cela da prisão caiu. Dalton escapou entrando em uma procissão religiosa que passava. Conseguiu encontrar seus colegas revolucionários, que o ajudaram a fugir para Cuba novamente. Foi enviado a Praga como correspondente da The International Review: Problems for Peace and Socialism. Enquanto esteve em Praga escreveu seu aclamado Taberna y Otros Lugares. Também produziu uma biografia histórica de Miguel Mármol, um proeminente comunista salvadorenho que participou da revolta salvadorenha de 1932 e vivia exilado na República tcheca. 

E7E5F74C-F499-44D1-B2D6-EEA8EBDCBFA2_w1080_h608_s_b-300x169 Roque Dalton: poemas de luta Clássicos
00-roque_dalton2-300x281 Roque Dalton: poemas de luta Clássicos

Em 1970, Roque Dalton havia se tornado uma figura reconhecida na esquerda salvadorenha. Tentou se tornar um soldado revolucionário, motivo pelo qual participou de campos de treinamento militar em Cuba várias vezes. Escreveu uma vez: “A política corre o risco da vida, ou então você não fala sobre isso”. 

Em 10 de maio de 1975, Roque Dalton foi assassinado pelos seus companheiros guerrilheiros do Ejército Revolucionario del Pueblo (ERP) sob acusação de insubordinação e de ser um agente da CIA. Morreu quatro dias antes de completar quarenta anos. Seu corpo jamais foi encontrado.  

“Cuando sepas que he muerto no pronuncies mi nombre”,  assim escreveu Dalton em um poema, no entanto, seu nome e sua obra permanecem nas bocas e nos corações daqueles que sonham com a possibilidade de que o povo viva, algum dia, a tão sonhada revolução libertadora. 

ANTOLOGIA DE ROQUE DALTON PARA DOWNLOAD

Clique na imagem para saber mais

Vamos colocar nas redes sociais os links pra download dos livros lançados pela Trunca, pra encher de poesia e luta esses dias em casa, pra quem estiver, porque a lógica do capital é a lógica da morte e muitos trabalhadores, homens e mulheres, não foram liberados de seus trabalhos. Que esses cantos sirvam também pra alimentar nossa indignação e solidariedade de classe. Segue aqui o segundo livro lançado pela editora, uma antologia do poeta e guerrilheiro de El Salvador, Roque Dalton. Trata-se da primeira antologia em português deste poeta e lutador imenso com sua poesia combativa e de altíssima qualidade! A seleção dos poemas, organização e tradução foram feitas por Jeff Vasques e Lucas Bronzatto. Nota da Editora

TRUNCA

Coletivo político-cultural anticapitalista dedicado a investigar, organizar, traduzir e divulgar a literatura “truncada”, “desaparecida”, “apagada” de Nuestra América, com especial atenção para a poesia. Veja NO SITE os livros à venda! 

poesiadeluta-300x199 Roque Dalton: poemas de luta Clássicos
truncaluta Roque Dalton: poemas de luta Clássicos
truncalutars Roque Dalton: poemas de luta Clássicos