tay

Onde poesia é resistência, insistência para existir e respirar, brotam poetas dispostos a expor sua visão sobre o fatos, sua habilidade com o verso e a conversa, seu engajamento social. 

Escarcéu é uma série de poemas autorais. São declamados por seus autores e o lugar de onde vêm estes versos é a periferia. 

Chega de silêncios. 

Escarcéu. 

O dedo que aperta o gatilho não sente, a dor da alma que a bala transcende, nem tente! Nem quiseram saber se ele era inocente…

Pior que era, mas o cara que apertou o gatilho se achava mais inteligente, joga na vala como indigente

Assim disse aquele PM, que já havia feito isso várias vezes com outros da mesma “gente” me entende? Não? Nem eu! Mas essa é a realidade que vocês me deu

Eu sou o presente, reflexo do passado que vocês me deixaram, eu sou o grito de justiça daquele que vocês mataram, eu sou cobrança que bate na porta do Estado…

E ultimamente eu nem sei qual é o meu estado eu tenho estado preocupado, não parado, talvez desamparado seja a palavra chave que abre a porta da revolta do meu povo revoltado, revolucionário, que resistiu e resisti ao genocídio desse estado sanguinário!

“Minha filha seja forte engole o choro e tampe os olhos, tem sangue pra todo lado… isso é Brasil, 2021, não tem como explicar, que a mina foi violentado e o estuprador? “Não teve a intenção de estuprar” …

Excelentíssimo exigimos respeito ao nosso corpo num pais onde o aborto é ilegal mas o estupro… CULPOSO.

Minha mãe sempre me disse: filha se comporta, não bebe, não grita, não se diverte, essa roupa? Pelo amor de Deus não usa! Se acontece alguma coisa “inocente” é quem te abusa… porque quando é nos que grita a justiça fica surda, só enxerga o que quer… Mas nunca muda.

FICHA TÉCNICA

Poeta: Tay

Direção e Imagem: Suellen Paim de Melo

Edição de video: Rute Grael

Trilha: Henrique Santos (Pakkatto)

Produção: Revista Arara

POETA: Tay

“Meu nome é Yabo, conheci

Nascida e criada na zona norte de Juiz de fora, Tay, poeta marginal e estudante de Serviço Social- UFJF, tem 20 anos e escreve poesia desde sua adolescência, mas começou a participar de slam’s e competições aos 17 anos. Suas inspirações sempre vieram da música, mas em especifico do Rap, pois sempre foi apaixonada por todos os elementos da cultura Hip-hop e encontrou na poesia falada uma ferramenta de luta contra o sistema de opressão.  

Dando voz a sua comunidade, denunciando todas as desigualdades que ela como mulher preta e periférica vivência na pele desde sempre.  

Tay é a atual campeã do slam- MG e foi uma das representantes do estado no Slam BR 2020.  

Instagram: @_ata­­_y. 

EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish