E-ZOO, a arte refletindo sobre o meio ambiente

Karol Schittini, artista cênica natural de Minas Gerais e radicada no Rio de janeiro, apresenta a performance E-ZOO, que busca trazer ao público a uma reflexão sobre a dimensão da importância da questão ambiental a partir da arte. 

Performance  EZOOpor-RicardoMuralha E-ZOO, a arte refletindo sobre o meio ambiente
por Ricardo Muralha
Performance  EZOO3porRicardoMuralha E-ZOO, a arte refletindo sobre o meio ambiente
por Ricardo Muralha

PERFORMANCE PROVOCAÇÃO PARA TEMPOS DE REFLEXÃO

Como podemos sonhar e interpretar o futuro a partir do que temos hoje? 

Nos primeiros dias de 2020, pouco antes de o mundo entrar em completo isolamento social, o Rio de Janeiro passou por uma crise hídrica que durou quase um mês. A chamada “Crise da Geosmina” atingiu os moradores de quase todo Estado, que durante mais de um mês receberam a água em suas residências com fortes alterações de cor e cheiro, contaminada por resíduos domésticos e industriais. 

A artista cênica Karol Schittini, mineira radicada na cidade do Rio de Janeiro há 15 anos, já na primeira semana da crise, viu sua casa se transformar num grande amontoado de garrafas plásticas e sentiu imenso pesar, pela falta de humanidade da Humanidade. Jogar o lixo fora não era simplesmente colocar a sacola para fora de casa… Assim surgem as primeiras inspirações para a criação da performance autoral intitulada “E-ZOO”, que estreia no dia 15 de julho na abertura da 5a. BELA Bienal – Bienal Europeia e Latino-Americana, no Espaço Cable Factory na cidade de Helsinque/ Finlândia, e traz neste ano a temática “Sustentabilidade: A Natureza na Arte”. O tema busca enaltecer a importância da preservação da Natureza e criar intercâmbio entre as culturas europeia e latino-americana na arte contemporânea. 

Confeccionado entre junho e julho de 2020, o traje-instalação da performance é composto com quase 2000 tampinhas de garrafas e de frascos, além de outras embalagens, cascas, conchas e objetos de metal. O nascimento de “E-ZOO” se deu como um vômito do mar, entupido de lixo, e foi gravado pela artista em formato de curta-metragem, que permanecerá em exibição na Bienal até dia 15 de agosto. Ainda neste ano, a exposição chega ao Brasil e será exibida de novembro a janeiro de 2022 no Centro Cultural dos Correios do Rio de Janeiro e de Niterói.  

A perda de um futuro outrora considerado por alguns como grande, brilhante e humanitário cria preocupações e o nascimento de E-ZOO é uma dança em homenagem à sinfonia da Natureza, com tudo que ela contém…  Tal estado pode parecer ao mesmo tempo vazio e ameaçador, mas também aparece como um local vasto e promissor para a ficção e para fantasias especulativas. Assim, em contrastes, a figura andrógina sente e causa estranhamento por ter se transmutado num corpo orgânico-plástico-tecnológico, e vai tentar se libertar do lixo que aderiu ao seu corpo, denunciando um processo de “dormência” do ser humano em relação aos hábitos de consumo e descarte. 

Nesta performance, a prática desencadeada pela atriz intersecciona entre atuação no que chama corpo-máscara e uma evocação xamânica, onde sua dança percussiva faz saudação os povos originários, os autênticos ecologistas do Planeta Terra.  

Segundo o site oficial do Parlamento Europeu (https://www.europarl.europa.eu/portal/pt) mais de 150 milhões de toneladas de plástico existem atualmente nos oceanos, e o artigo de plástico descartável mais encontrado nas margens do mar são garrafas de plástico e tampas. Já o Brasil é o 4º país que mais produz lixo plástico, segundo pesquisa da WWF-Brasil (2019), sendo que cada brasileiro produz a média de 1kg de lixo plástico por semana, e somente 1,2% desse lixo será reciclado. 

Além do lixo plástico que é altamente tóxico, há o descarte irresponsável de lixo tecnológico em altíssima escala em territórios africanos, e ainda outros crimes ambientais, como o vazamento de aproximadamente 1000 toneladas de petróleo em julho de 2019 que atingiu mais de 2000 km do litoral brasileiro, e os rompimentos de barragens como em Mariana e Brumadinho/ MG, contaminando rios até despejar toneladas de dejetos no Oceano Atlântico. Isso sem contar o descarte em alto mar de redes e materiais da pesca predatória, e muitas vezes ilegal… 

E-ZOO é mais uma produção da Trupiniquim Produções Artísticas, com produção finlandesa da BRA-FIN Consulting, e é o terceiro trabalho solo de Karol Schittini. Seus trabalhos autorais trazem a inquietude de uma artista antenada com seu tempo, que quer emocionar mas também provocar. Em seus dois solos anteriores (2013 e 2017) Karol aborda a condição da mulher em estado sertanejo, e da migração médio-oriental no Mediterrâneo, respectivamente. Com o primeiro solo “Residência no Redemoinho”, direção de Jiddu Saldanha, realizou 9 turnês internacionais e recebeu 08 prêmios em festivais nacionais. O segundo solo “Mirada_”, direção Denise Zenícola foi criado com o suporte do NEPAA – Núcleo de Performances Afro-Ameríndias, a partir de pesquisa realizada em residência artística de 3 meses na Península Ibérica.  

Tendo passado pela Graduação em Artes Cênicas na Universidade Federal de Minas Gerais, na Escola Técnica de Teatro Martins Pena e como aluna-convidada da pós-graduação em Encenação e Performance Afro-Ameríndia na UniRio, Karol Schittini é uma artista multilinguagem, com especializações em teatro, música, dança, palhaçaria e cinema. Karol afirma, sem titubear: “a arte quer criar belezas, mas também precisa incomodar, para promover transformações”. 

 

DEPOIMENTO

1. Qual a importância desse trabalho que será apresentado na Finlândia no dia 15 de julho?

A performance “E-ZOO” é uma provocação distópica, que chama a atenção aos hábitos de consumo e de descarte, que promovemos desgovernadamente. Lembrarmos que não existe Nós e a Natureza. Nós somos a Natureza. O colapso de saúde que o planeta enfrenta hoje é o reflexo do que continuamente estamos produzimos sobre a face da Terra.

2. Como se sente em ter um trabalho apresentado em outro país?

Esse trabalho, idealizado em janeiro de 2020, precisou se adaptar e ganhar uma versão em audiovisual pelo motivo da pandemia. Em março de 2021, a vídeo-performance foi exibida na V Mostra Internacional de Mímica Contemporânea, em formato online. E agora, estrear presencialmente em terras estrangeiras gera grande emoção, primeiramente por ser convidada para atuar na abertura da Bienal, e também por poder representar o Brasil com minha arte

3. Como foi a preparação desse seu trabalho?

A preparação para montagem da performance happening “E-ZOO” começou quando o figurino foi idealizado e confeccionado. Eu pensei: “E se o lixo que produzimos se aderisse ao nosso corpo e fosse impossível se livrar dele?” Posteriormente à finalização da vídeo-performance homônima, que apresenta o nascimento da figura, iniciei a criação da performance ao vivo, que deseja estabelecer interatividade com o público. É um trabalho doloroso, que acaba expondo um pouco de mim e um pouco de toda a humana em mim, e naturalmente isso me causou um certo de medo no processo criativo, também por ser a primeira vez que atuo numa galeria de exposições e também por estar sozinha nesse jogo, o qual concebi, dirijo e atuo.

FICHA TÉCNICA  Performance E-ZOO

Criação e Atuação: Karol Schittini 

Realização: Trupiniquim Produções  

Produção Finlândia: BRA-FIN Consulting  
 

E-ZOO©   * direitos reservados: Ancine e Escola de Belas Artes UFRJ 

Performance  EZOO2porRicardoMuralha E-ZOO, a arte refletindo sobre o meio ambiente
por RicardoMuralha
Performance  EZOO1porRicardoMuralha E-ZOO, a arte refletindo sobre o meio ambiente
por RicardoMuralha
EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish