fbpx

A poesia de Claudia Vaca Flores

Uma entrevista exclusiva, recheada de muita poesia, da poeta boliviana Claudia Cecilia Vaca Flores, doutoranda em Educação nas áreas de Interculturalidade e Tecnologias. O relato ao poeta Julio Almada é uma reflexão sobre o mundo contemporâneo de alguém que pensa profundamente o papel da oralidade.

Acesse

Mercedes Sosa, a voz da América Latina

Dona de um repertório multinacional, que reunia as principais canções de protesto do Uruguai, da Argentina e do Chile, Mercedes participou de discos em diferentes países, e consolidou sua presença na música latino-americana como a voz mais difundida no continente ao longo dos anos 1970.

Acesse

Juan Rulfo e a alma latino-americana

Saiba um pouco mais sobre o escritor mexicano, autor de dois grandes clássicos da literatura mundial: Pedro Páramo e A Planície em Chamas. A obra de Juan Rulfo revolucionou a abordagem da realidade rural do México e a linguagem nos anos 50 do século XX, influenciando grandes nomes como Gabriel Garcia Márquez. Trazemos uma entrevista concedida em 1977 pelo autor e seu aclamado livro para download.

Acesse

A Antipoesia de Nicanor Parra

Poeta e matemático chileno, Nicanor Parra quis sua poesia calcada no rés do chão, longe da grandiloqüência clássica ou da poesia sobre-humana, altiva, que se ocupa dos grandes temas do amor, da morte, da vida. “Durante meio século/A poesia foi/O paraíso do bobo solene”, escreve Parra em “A montanha-russa”.

Acesse

O canto dos inconquistáveis: a poeta Graciela Huinao

O depoimento de Graciela Huinao sobre sua trajetória e envolvimento com a literatura, o que significa a poesia e a condição de mulher indígena na América Latina é emocionante e pungente. Primeira poeta Mapuche a ingressar na Academia de Línguas do Chile, contadora de histórias, Graciela nos encanta e desperta para o silenciamento dos povos originários, resistindo inconquistáveis através de seu canto e memória numa América Latina onde a literatura é cada vez mais restringida a uma pequena elite.

Acesse

Adela Zamudio, uma precursora do feminismo latino-americano.

O dia da mulher boliviana é comemorado na Bolívia todo dia 11 de outubro. A data não é escolhida aleatoriamente, mas devido ao nascimento de sua escritora mais importante e uma das precursoras do feminismo em seu país: Adela Zamudio. Ensaísta, poeta e professora, Zamudio enfrentou o conservadorismo da época em que viveu e agitou as águas com seus escritos.

Acesse