fbpx

Orestes, a tragédia da ditadura

O cineasta Rodrigo Siqueira tornou público o acesso a seu filme de 2015, onde os personagens se confrontam com a violência e dilemas éticos na trama que se desenvolve em torno do julgamento de Orestes, que matou o próprio pai – um agente da ditadura militar infiltrado nos movimentos de resistência – 37 anos após vê-lo assassinar sua mãe. 

O filme “Orestes” (2015) é uma obra incrível sobre violência estatal e a ditadura.

O premiado diretor Rodrigo Siqueira disponibiliza o filme on demand

SINOPSE E DETALHES

A filha de uma militante política traída e executada, um policial, uma defensora da pena de morte, um ex-preso político, pais que perderam seus filhos e uma enfermeira que lida diariamente com o resultado da violência são alguns dos personagens que se confrontam nesta reflexão sobre os mecanismos da justiça e as possibilidades de resgate das culpas e dívidas de várias gerações. Fantasmas da ditadura, posições antagônicas sobre responsabilidade, ética e punição e os próprios ritos, tanto dos tribunais como da tragédia grega, são passados no fio da navalha, num processo em que a objetividade se procura, mas escapa. 

Não recomendado para menores de 12 anos

BIO

Documentarista mineiro, formou-se em jornalismo pela PUC-Minas e começou a carreira no telejornalismo. Seu primeiro contato com o cinema foi como pesquisador no longametragem Uma Onda no Ar (2002), de Helvécio Ratton

foto-do-diretor Orestes, a tragédia da ditadura Cinema