O curta-metragem 'A praga da insônia' busca despertar esperança em meio à crise econômica e de saúde desencadeada pela COVID-19, por meio da leitura de fragmentos da obra de Gabriel García Márquez alusivos à praga do esquecimento.

A Fundação Gabo, criada pelo escritor Gabriel García Márquez (1927-2014) para estimular o jornalismo latino-americano, produziu um curta com vários astros da América Latina, que refletem sobre a pandemia a partir de textos do romance mais aclamado do autor, “Cem Anos de Solidão”. A obra de 1967 abordava uma epidemia de esquecimento e insônia que assolava a fictícia cidade de Macondo. 

Intitulado “La Peste del Insomnio” (a peste da insônia), o curta dirigido pelo venezuelano Leonardo Aranguibel (“Prisionera“) conta com 30 atores de 7 países diferentes, que abordam com as palavras de García Márquez a possibilidade de encarar de forma leve os tempos atuais. 

A produção traz artistas como a brasileira Alice Braga e o argentino Ricardo Darín lendo trechos do livro sobre a praga que vai tomando toda a população de Macondo. Mas as imagens que aparecem entre suas falas são de cidades reais e atuais da América Latina, sob o impacto da covid-19. 

  

O elenco ainda conta com a participação dos colombianos Andrés Parra e Ana María Orozco, do mexicano Héctor Bonilla, e da cubana Yoandra Suárez, entre outros. 

Cortometraje La peste del insomnio

Arquivos raros de Gabriel García Márquez

O arquivo abrange mais de 27.000 imagens de papéis, fotografias, manuscritos e arquivos em áudios, e está disponível para consulta e downlad gratuito.

Leia Mais
EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish