fbpx

Luís Fernando Veríssimo

Considerado um dos mais populares, profusos e respeitados escritores brasileiros, Luís Fernando Veríssimo é conhecido pelo humor que transborda em suas crônicas, contos e pequenos causos. Conheça uma delas e veja, nas entrevistas, como o autor fala sobre o humor, suas experiências, visão de mundo e política.

Papos

“- Me disseram… 

  

– Disseram-me 

  

– Hein? 

  

– O correto é ‘disseram-me’. Não ‘me disseram’. 

  

– Eu falo como quero. E te digo mais… Ou ‘digo-te’? 

  

– O quê? 

  

– Digo-te que você… 

  

– O ‘te’ e o ‘você’ não combinam. 

  

– Lhe digo? 

  

– Também não. O que você ia me dizer? 

  

– Que você tá sendo grosseiro, pedante e chato. E que vou te partir a cara. Lhe partir a cara. Partir a sua cara. Como é que se diz? Aaahh 

  

– Partir-te a cara. 

  

– Pois é. Partir-la-ei  se você não parar de me corrigir. Ou corrigir-me. 

  

– É para o seu bem. 

  

– Dispenso as suas correções. Vê se esquece-me. Falo como bem entender. Mas uma correção e eu… 

  

– O quê? 

  

– O mato. 

  

– Que mato? 

  

– Mato-o. Mato-lheMatar-lhe-ei-te. Ouviu bem? 

  

– Eu só estava querendo… 

  

– Pois esqueça-o e pára-te. Pronome no lugar certo é elitismo. 

  

– Se você prefere falar errado… 

  

– Falo como todo mundo fala. O importante é me entenderem. Ou entenderem-me? 

  

– No caso… Não sei. 

  

– Ah, não sabes? Não o sabes? Sabes-lo não? 

  

– Esquece. 

  

– Não. Como ‘esquece’ ou ‘esqueça’? Ilumine- me. Me diga. Ensines-lo-me. Vamos! 

  

– Depende. 

  

– Depende. Perfeito. Não o sabes. Ensinar-me-lo-ias se o soubesse, mas não sabes-o. 

  

– Está bem, está bem. Desculpe. Fale como quiser. 

  

– Agradeço-lhe a permissão para falar errado que me dás. Mas não posso mais dizer-lo-te o que dizer-te-ia. 

  

– Por quê? 

  

– Porque, como todo esse papo, esqueci-lo.” 

  

Veríssimo, Luis FernandoNovas comédias da vida pública – a versão dos afogados. Porto Alegre: L&PM, 1997. 

Entrevistas

Entrevista concedida ao Doutor Draúzio Varela por Luís Fernando Veríssimo
Traço marcante da alma e da literatura nacionais, o humor já transbordava dos poemas de Gregório de Matos, e percorre toda nossa literatura, impregnando, por exemplo, Machado de Assis e vários modernistas. Hoje, porém, há quem diga que o humor anda escasso entre os escritores mais jovens. Super Libris é um programa que fala sobre literatura brasileira, mas não de forma professoral. Aqui autores são tão importantes quanto gente que vende, gente que conserva, gente que faz e gente que ama o livro.