Poemas de Diego Rojas Arias

Trazemos quatro poemas do autor equatoriano Diego Rojas Arias, autor do livro Amor Escupido de 2013, entre outros. Seus escritos circulam em coletâneas e pela internet, em blogs e revistas ligados a divulgação da poesia contemporânea na América Latina.

Acesse

5 poemas de Alessandro Padin

Alessandro José Padin Ferreira é poeta, professor universitário e jornalista. Após anos dedicados à atividade jornalística e acadêmica, retomou os estudos em linguagens poéticas, vem participando de antologias e prepara o seu primeiro livro com poemas

Acesse

A poesia de Pedro Tostes

Foi detido, averiguado e apreendido pelas autoridades por porte e comercialização de livros em prestigiosa Fresta Literária. Com a organização delituosa “Poesia Maloqueirista”, entre outros crimes, editou a infame revista “Não Funciona”, que realizou 20 golpes bem sucedidos com mais de 20 mil incidências literárias na primeira década do século.

Acesse

3 poemas de Janúario Esteves

Januário Esteves nasceu em Coruche (1960) e foi criado perto da Costa da Caparica, Portugal. Formou-se em instalações eletromecânicas, usa o pseudônimo de Januanto e escreve poesia desde os 16 anos. Em 1987, publicou poemas no Jornal de Letras e participou ao longo dos anos em algumas publicações coletivas.

Acesse

Flor de arribaçã

Um conto de Adriano B. Espíndola Santos. Extraindo a sua escrita das dores do mundo, Adriano tece textos ricos, vivos, atuais, permitindo que o leitor se sinta inserido em cada cenário. É dor e amor; e o que puder ser para se sentir vivo: o coração inquieto.

Acesse

A prosa de Juliana Brito

Dois textos de Juliana Brito, formada em História pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) e professora da rede pública de ensino por 17 anos. A autora coordena o Clube do Livro Um Dedin de Prosa e Poesia e desenvolve ações de incentivo a leitura junto a um pequeno grupo na zona rural. Poeta, escreveu um livro de contos para participar de concursos literários, o que a animou a publicar seus escritos.

Acesse

Pandemia

No conto de Marcello de Oliveira Pinto, tendo o Rio de Janeiro por cenário, somos transportados para um futuro não muito de distante para acompanhar uma ficção nascida e ligada indissoluvelmente ao presente.

Acesse
CatalanEnglishFrenchGermanPortugueseSpanish