fbpx

Acesse todos os volumes da Coleção História Geral da África, produzida pela UNESCO

Em 1964, a UNESCO dava início a uma tarefa sem precedentes: contar a história da África a partir da perspectiva dos próprios africanos. Mostrar ao mundo, por exemplo, que diversas técnicas e tecnologias hoje utilizadas são originárias do continente, bem como provar que a região era constituída por sociedades organizadas, e não por tribo, como se costumava pensar.   
 
Quase 30 anos depois, 350 cientistas coordenados por um comitê formado por 39 especialistas, dois terços deles africanos, completaram o desafio de reconstruir a historiografia africana, livre de estereótipos e do olhar estrangeiro. Estavam completas as quase dez mil páginas dos oito volumes da Coleção História Geral da África, editada em inglês, francês e árabe entres as décadas de 1980 e 1990. 
 
A coleção está dividida em oito volumes, indo da pré-história africana, passando pela África antiga e chegando aos tempos atuais.  
 
Além de apresentar uma visão de dentro do continente, a obra apresenta um novo olhar a respeito do legado do continente para a própria identidade nacional. Trata-se de um marco no processo de reconhecimento da importância cultural da África para o mundo, expandindo a visão sobre ao história africana.
africa Coleção História Geral da África, produzida pela UNESCO. Livros

“permite compreender o desenvolvimento histórico dos povos africanos e sua relação com outras civilizações a partir de uma visão panorâmica, diacrônica e objetiva, obtida de dentro do continente”, diz Unesco.

A UNESCO no Brasil, em parceria com a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação (Secad/MEC) e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), viabilizaram a edição completa em português da Coleção, considerada até hoje a principal obra de referência sobre o assunto. 

Produzido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), traduzido e dublado pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).

A Rota do Escravo - A Alma da Resistência

Coleção vira livro didático

O livro é apresentado pelo Ministro da Educação à época, Fernando Haddad, e por Petronilha Gonçalves, pesquisadora do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros.